quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Assembleia unificada decide que greve continua por tempo indeterminado

Na manhã de ontem (30), dirigentes do SOERN participaram de Assembleia Unificada na sede do Sinsenat. O evento, que teve como pauta a avaliação, balanço e encaminhamento da greve, contou com uma representação expressiva de servidores representados pelo Sinsenat, Sindern, Sindsaude e.SOERN.

De acordo com a presidente do Sinsenat, Soraya Godeiro, ontem deveria estar sendo concluído o salário referente ao mês de novembro, mas a prefeitura não conseguiu fechar a folha de outubro ainda. “Não adianta manter a greve, se os servidores retomarem suas atividades ao receber o pagamento, sem pensar nos colegas que continuam na luta com os salários em atraso".

Quem também deixou uma mensagem foi o vice-presidente do SOERN, Edson Cirilo. “Uma Instituição não pode aderir uma greve sem o devido apoio da categoria. Os trabalhadores precisam tomar uma decisão e dar mais força ao movimento”, disse.

A diretora do Sindicato dos Servidores da Saúde do RN (Sindsaúde), Célia Maria Dantas, defende que os gestores deveriam enxergar a importância dos servidores da saúde. “Não temos nossos direitos cumpridos e garantidos. Não recebemos adicional noturno, insalubridade, gratificações e nem temos quinquênios implantados e anda temos nossos salários atrasados”, comenta e acrescenta que Natal tem 21 mil servidores e que espera o apoio e participação nos movimentos de, pelo menos, 10 mil destes.

Já o presidente do Sindern, Luciano Cavalcante, aproveitou o momento para pedir que os profissionais presentes fizessem uma reflexão. “Não passamos em concurso para receber nossos salários parcelados. Nossa categoria nunca esteve tão empenhada, estamos unidos, visitando as unidades e conversando com os demais colegas”, disse e acrescentou que se os servidores fossem enumerar os motivos reais para entrar em greve, passariam de 50.

O representante da assessoria jurídica do Sinsenat, o advogado Gustavo Barbosa deixou claro que o direito da greve é constitucional. “Ao atrasar os pagamentos de seus servidores, a prefeitura está desrespeitando a lei, ou seja, agindo de forma ilícita. Se o movimento grevista for coeso, contará com apoio do Tribunal, que se sentirá pressionado, sendo obrigado a dar uma resposta mais técnica e não só política”. 

Já a diretora de comunicação do SOERN, Teresa Neumann. lamentou a ausência dos profissionais da odontologia na luta. “Não sei se o motivo é a vergonha de dizer que também estão sem dinheiro. Estamos na linha de frente, levando rajadas, muitos dissabores, sempre lutando para chegar onde chegamos. Vamos mobilizar a sociedade para ficar do nosso lado. Nenhuma luta é para todos, mas apenas para os que acreditam na vitória”, completa.

Ao final, a Assembleia decidiu, por unanimidade, que a greve deve continuar por tempo indeterminado, em defesa do cumprimento da Lei Orgânica do Município, que define o recebimento das remunerações até o último dia útil de cada mês. Também ficou definido um novo ato público, marcado para a sexta-feira (2), às 8h, em frente à Prefeitura. 

Créditos das fotos: Sinsenat




segunda-feira, 28 de novembro de 2016

SOERN promove debate sobre Reforma Trabalhista

Na manhã de hoje, como parte da programação da greve dos servidores públicos do Estado e Município, dentistas e enfermeiros se reuniram na sede do CRO-RN, para assistir a palestra de Francisco Júnior (conselheiro do Conselho Estadual e do Conselho Nacional de Saúde). Júnior, iniciou sua fala, dizendo: "o SOERN está saindo à frente, por trazer à tona essa discussão". 

Entre os temas mais debatidos da manhã, merece destaque o PL 4962, que vai de encontro à CLT e estabelece que o negociado se sobreponha ao legislado, fragilizando o trabalhador. 

O palestrante deu ênfase também ao  PL 4302, o da Terceirização, e sua consequência para o serviço público e privado: "No serviço público, algumas das desvantagens são: superfaturamentos e clientelismo; falta de recursos para prover ações; precarização; baixos salários; assédio moral e instabilidade de emprego”, enumera, Francisco Júnior. 


Ele acrescenta que "a terceirização não tem nada de interessante para ninguém, nem para o trabalhador, nem para a sociedade, nem para o país, a não ser para o empregador." Terminada a palestra, a plateia foi convidada a um debate, com vários questionamentos de dentistas e enfermeiros.



Após a discussão sobre a Reforma Trabalhista, houve uma reunião para tratar de assuntos referentes à greve, com a presença do assessor jurídico do SOERN, Breno Cabral, que fez um breve relato sobre a decisão mais recente do Supremo. Ademais, acrescentou que, com o atraso de pagamento de salário, a greve se torna válida, porém vai caber apreciação judiciária e o grevista poderá ter que compensar as horas lá na frente.



Apesar de não ter conseguido o contingente esperado, Dr. Ivan Tavares falou que espera um número mais expressivo na próxima segunda-feira (5), para discutir a Reforma Previdenciária. E finalizou a reunião dizendo que o sindicato só irá tomar uma decisão de substituir a greve por um outro movimento, se essa for uma decisão conjunta com os demais sindicatos.



SOERN participa de Manifesto das centrais sindicais

Representantes do SOERN participaram, na manhã desta última sexta-feira (25), do dia de Paralisação Nacional, contra as administrações federal, estadual e municipal. A ação teve início na calçada do shopping Midway e seguiu até a FIERN.

De acordo com o presidente do SOERN, Ivan Tavares, o Sindicato dos Odontologistas do RN está engajado nesta luta conjunta dos trabalhadores do Estado, que estão de prontidão em todo País, contra os desmandos do atual Governo. “É importante ressaltar que depois do último grande escândalo desse Governo, que agora balança, o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima pediu demissão, uma constatação de que o destino de nosso País não anda bem e que a vontade de retirar os direitos dos trabalhadores, adquiridos há décadas, pode estar balançando também”, disse o presidente. Ele acrescenta que o sindicato está na luta, não apenas contra o governo do RN e a prefeitura, mas também contra as decisões do governo central que querem acabar com os direitos dos trabalhadores e a previdência brasileira. 






sábado, 26 de novembro de 2016

Soern reúne revista e grevista em café da manhã na zona Norte



A zona norte de Natal, nesta quinta-feira,24, foi cenário para um café da manhã, promovido pelo SOERN e SINDERN (Sindicato dos Enfermeiros do Rio Grande do Norte), dentro da programação de Greve unificada. O movimento aconteceu na Unidade de Saúde Soledade I, no bairro Santarém. Após o café da manhã, os trabalhadores saíram em caminhada pelas ruas dos bairros. A população e usuários da unidade de saúde, também participaram da ação.

O presidente do  SOERN, falou aos presentes e reforçou que a categoria em greve, ainda não compreendeu que participar do movimento grevista dá força e voz ao atual momento de reivindicações e lutas, além de falar sobre os planos do governo e da situação do postos de saúde que vivem funcionando sem os insumos necessários. “Estamos aqui para discutir os projetos em andamentos no congresso nacional que vão ter desdobramentos no Rio Grande do Norte e municípios para a terceirização da saúde. Então, se existe um compromisso do trabalhador que é funcionário público com a população, imagine como será quando o funcionário que é hoje e não é amanhã... e que daqui há 20 anos não terá mais concurso público, dificultando o acesso dos pobres à saúde e à educação de qualidade ”disse.

A diretora do SOERN, Teresa Neumann lembrou aos trabalhadores sobre os seus direitos trabalhistas que estão sendo negociados para acabar. “É importante que  a gente abra os olhos, se engaje nessa luta, porque não são os trabalhadores que irão definir isso, mas o povo que precisa estar unido e a voz precisa ser em um só som. Dias piores virão!”, destacou.

O presidente do SINDERN, Luciano Cavalcanti falou sobre a dificuldade da população em conseguir atendimento e que esse é o momento dela se unir ao movimento. “Esse é o momento que a sociedade deve estar junto com os servidores, precisamos entender que o país atravessa um período, onde o governo federal a cada dia apresenta uma PEC que deixa de lado os benefícios para a sociedade brasileira e não podemos deixar isso acontecer, por isso pedimos a participação da sociedade nessa luta”, finalizou.

O movimento foi encerrado com uma caminhada e um dos pontos altos do evento foi a declamação da poesia da diretora Teresa Neumann.




Não é o que parece
“O dia amanhece,
O sol resplandece,
Assim, a promessa aparece...
Contudo, a saúde carece,
O povo padece,
O salário desaparece
O político enriquece,
O servidor entristece,
E também adoece!
E a gestão, não é o que parece
Ela fecha os olhos e emudece”, Teresa Neumann

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Greve: ação na Zona Norte


Confira a agenda unificada


GREVE: PALESTRA DISCUTE PERDAS SALARIAIS

No dia 28/11, às 8h30, no auditório do CRO, o SOERN promove a palestra/debate, com o conselheiro do Conselho Nacional de Saúde, Francisco Júnior, “Reforma Trabalhista – Perda do 13º salário; Diminuição de férias; Fim do Concurso Público, Terceirização e Congelamento salarial.”