terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Servidores do município decidem manter a greve, por tempo indeterminado

Nesta terça-feira (17), membros da diretoria do Sindicato dos Odontologistas do Rio Grande do Norte (SOERN) participaram de uma assembleia unificada, no auditório do Sinsenat, onde estava lotado de servidores ligados ao município de Natal, que votaram pela continuidade da greve, por tempo indeterminado.






Na oportunidade, a coordenadora do Sinsenat, Soraya Godeiro abriu os trabalhos e falou a respeito do posicionamento da prefeitura por telefone, na manhã de hoje, onde líderes sindicais estiveram presentes para debater os encaminhamentos da greve. “Até hoje às 16h, a prefeitura ficou de dar um retorno para nós dizendo a data da reunião para que possamos instalar uma mesa de negociação e ainda, firmar um calendário de pagamentos. Além disso, o que queremos é saber a data certa para o pagamento, referente ao mês de janeiro”, enfatizou.
O diretor do SOERN, Flávio Calife falou sobre a expectativa da greve para os próximos dias. “Vamos aguardar o posicionamento da prefeitura e esperar que marque a reunião, para que possamos debater os pontos reivindicados pelos servidores”, explicou e destacou que diante disso, uma nova assembleia unificada já está marcada para a próxima quinta-feira (19), às 9h, no auditório do Sinsenat.
















segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

SOERN diz “sim” para a continuidade da greve

O Sindicato dos Odontologistas do Rio Grande do Norte (SOERN) realizou hoje (16), pela manhã, em sua sede, uma assembleia específica para avaliar com a categoria se continua a greve ou não, relacionada aos servidores do município de Natal. Os cirurgiões-dentistas votaram por unanimidade pela permanência da greve, por tempo indeterminado. 
O presidente do SOERN, Ivan Tavares explicou hoje, durante a reunião, os três motivos principais que ocasionou a presente greve. “O movimento grevista se deu em cima de três pontos principais: o atraso salarial injustificado, pois ninguém da prefeitura convenceu os sindicatos a respeito dos atrasos, data base, onde o assunto não é conversado e os gestores não recebem os sindicatos para dialogar e o terceiro ponto diz respeito a lisura na folha de pagamento do Município”, disse e acrescentou que foi pedida a folha de pagamento, para analisar os “altos salários”, quando a prefeitura alega que não tem dinheiro para tal.
Terceirização e ponto eletrônico também foram assuntos de pauta, durante a assembleia de hoje.
Para que o movimento ganhe ainda mais força, o SOERN convida a todos os dentistas ligados ao município de Natal para participar amanhã (17), às 9h, no auditório do Sinsenat, de uma Assembleia Unificada, que reunirá diversos sindicatos, para decidir os rumos da greve.
O diretor do SOERN, Flávio Calife, disse que a participação dos cirurgiões-dentistas no movimento tem sido mínima. “Lamentamos a falta de participação dos servidores que, muitas vezes, só cobram do nosso sindicato. Quero dizer que o desgaste é grande, as negociações não são fáceis, participar de reuniões, assembleias, audiências, mas não cansamos de lutar pelo o que merecemos e temos direito”, enfatizou e destacou que quando existe uma perda, todos perdem. Por esse motivo é preciso que seja uma luta em conjunto e mais participativa.

Diversos sindicatos, além do SOERN, participam do movimento e representam os servidores do município, dentre eles, Sinsenat, Sindsaude, Sindguardas e Sindern. 


Atenção! Amanhã terá Assembleia Unificada, no Sinsenat


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

SOERN realiza nesta segunda,16, Assembleia para discutir Greve

O SOERN convoca todos os servidores municipais, municipalizados e contratados
do município de Natal, para comparecerem à Assembleia, que acontecerá, na próxima
segunda-feira (16/01), às 9h00, na sede do SOERN.

PAUTA: 1- GREVE do Município de Natal
Sua presença é fundamental !

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Sem data para o pagamento de dezembro, servidores continuam em Greve Unificada por tempo indeterminado

Apesar de todas as expectativas e esperanças dos seis líderes sindicais da Greve Unificada, o Prefeito Carlos Eduardo não anunciou a data dos salários do mês de dezembro, durante a audiência realizada na terça-feira (27), na sede da SEMPLA. O SOERN esteve representado pelo presidente Ivan Tavares e os diretores Flávio Calife e Teresa Neumann.


De acordo com o prefeito Carlos Eduardo, os pagamentos serão realizados mediante a entrada de receita e por isso não pode determinar uma data. ”Assim que o dinheiro da repatriação cair na conta, no dia 2 de janeiro, começaremos a pagar por faixa, assim como a entrada do IPTU no dia 10”, informou e esclareceu que a folha de novembro foi paga com uma parte do IPTU pago até o dia 23 de dezembro.
Na  manhã de ontem (28), os servidores municipais se reuniram na Praça Tamandaré para discutir os rumos da greve. Diante da incerteza sobre a data do pagamento, que já estará atrasado a partir do dia 30 de dezembro, os trabalhadores decidiram manter a greve por tempo indeterminado. Após a deliberação, foi realizada uma caminhada até o Palácio Felipe Camarão, onde os servidores reafirmaram a luta pelo cumprimento da Lei Orgânica do município.
Representando o SOERN, o diretor Flavio Calife falou aos presentes que o prefeito alega não ter dinheiro, mas a Secretaria de Saúde continua assinando contratos terceirizados. “Ficamos sem resposta sobre a terceirização ontem, na reunião com o prefeito. O custo de um funcionário terceirizado é 3 vezes maior do que um servidor concursado. Esse discurso de terceirizado é Massa de Manobra”, disse.
A diretora Teresa Neumann, falou que "os rumos da greve tomaram uma proporção consistente, com bem mais adeptos, em virtude da falta de compromisso dessa gestão com o servidor. Finalmente, as categorias estão enxergando a forma dissimulada, como somos tratados".
Na ocasião, foi informado a Agenda Unificada da Greve: na terça (3), haverá assembleias específicas de cada categoria e um novo ato público na próxima quarta-feira (4), às 8h, em frente à prefeitura, quando será cobrado, novamente,  um posicionamento do prefeito Carlos Eduardo.










terça-feira, 27 de dezembro de 2016

SOERN participa de audiência pública na Câmara dos Vereadores

Na manhã de hoje (27), os representantes do SOERN e de outros sindicatos participaram de Audiência Pública proposta pelos vereadores Júlio Protásio e Sandro Pimentel, na Câmara Municipal de Natal. O objetivo da audiência era falar sobre o cumprimento da Lei Orgânica que trata do pagamento dos servidores públicos municipais de Natal. Com auditório lotado, o evento foi considerado um sucesso, e contou com propostas e debates enriquecedores.

De acordo com a presidente do Sinsenat, Soraya Godeiro, a conversa agendada para tarde de hoje com o prefeito, poderá seguir um caminho de diálogo e negociação ou de radicalização. “As coisas apontadas aqui são preocupantes. Não é verdade que existe uma decisão judicial, do Tribunal de Justiça do Estado, dizendo que o prefeito pode pagar até o dia 5º útil de cada mês.  Todas as ações que os sindicatos ajuizaram, foram para que haja o cumprimento da lei orgânica do município, que diz que o pagamento deve ser efetuado até o último dia útil de cada mês”, disse e acrescenta que trouxeram essa informação de forma equivocada porque querem alterar a lei orgânica do município de Natal.

O vereador Júlio Protásio disse estar satisfeito com a participação expressiva da população. “Espero que todas as audiências públicas sejam assim, abarcadas por respostas do governo com decisões imediatas, como essa, na qual o governo se antecipou e depositou na conta dos servidores o salário devido de novembro, uma vitória da mobilização de vocês, uma vitória da mobilização exercida no Governo e na Câmara Municipal”, disse e acrescentou que em conversa recente com prefeito se colocou à disposição para ajudá-lo a economizar, a arrecadar mais, mas que não contasse com ele para arrochar ainda mais o servidor, que já está pagando há três anos sem data base.



O diretor do SOERN, Flávio Calife, parabenizou os servidores pelo movimento, em especial aos que participaram do coral de Natal na última sexta-feira. “Tenho certeza que o coral da Árvore de Mirassol já virou atração turística. O executivo este ano quebrou um princípio basilar de Natal, que era o da isonomia salarial entre os servidores da categoria. Esperamos que o executivo traga a esta casa um projeto que restaure a isonomia salarial entre os servidores da saúde”, disse.


Já a Secretária Municipal de Administração (SEMAD), Jandira Borges, disse que o prefeito não anuncia calendário porque a situação da arrecadação está difícil. “De que adianta fazer um calendário sem conseguir honrar? Esperamos que em 2017 possamos mostrar um calendário possível de ser cumprido”, disse Jandira.          

A secretária adjunta especial da Sempla, Joanna Guerra falou que é preciso ter sensibilidade em relação às consequências que este momento traz na vida de cada um de nós. “Trabalhamos de forma dura em busca de retificar alternativas e buscar as melhores soluções para sair dessa situação difícil que nos encontramos. A Sempla, junto às demais secretarias do município, discute medidas de ajustes, que aumentem a arrecadação e diminuam as despesas, para que possamos mitigar o desequilíbrio econômico entre receita e despesa”.

A vereadora Amanda Gurgel parabenizou os servidores pela presença maciça. “Apesar de toda humilhação a que nós trabalhadores somos submetidos, estamos resistindo. Aqui o tempo todo se fala de dificuldade. Os auditores fiscais do município têm comparecido frequentemente à Câmara para dizer que não existe frustração de receita em Natal. A receita do município, a que compõe a fonte 111 está muito bem, obrigada”, disse. Ela falou ainda da má administração do dinheiro. “O que tem sido feito com o dinheiro que se tem? Escolha, se é para dar calote, vai dar calote nos servidores ou em banco? Bancos são trilionários, mesmo diante da crise econômica. Quais as prioridades do prefeito? Festas?”, indagou Amanda.

Quem também se manifestou foi o vereador Sandro Pimentel. “O prefeito vai entrar para o quarto ano dando calote, literalmente, na data base do servidor. Basta! Chega! O servidor não aguenta mais esse prefeito de araque”.