quarta-feira, 24 de junho de 2015

CARTA ABERTA À CATEGORIA ODONTOLÓGICA BRASILEIRA



CARTA ABERTA À CATEGORIA ODONTOLÓGICA BRASILEIRA

Prezados Colegas,

 

A Federação Interestadual dos Odontologistas – FIO vem acompanhando as denúncias contra membros da atual diretoria do Conselho Federal de Odontologia – CFO, tanto pelas redes sociais quanto por interlocuções com profissionais da categoria e, recentemente pela imprensa. O conteúdo das denúncias que foram protocoladas junto ao Ministério Público Federal, Polícia Federal e Tribunal de Contas da União é demasiadamente grave e precisa ser investigado de modo independente e, portanto, esclarecido. Ainda porque as acusações foram feitas por três profissionais que integram a diretoria que hoje está à frente da autarquia.

A FIO lamenta profundamente esse episódio, que depõe contra a imagem da Odontologia brasileira, e cujo desdobramento poderá resultar na sua desagregação e desmoralização, com consequente enfraquecimento institucional.

Uma crise moral e ética, neste momento em que os desafios colocados para a profissão no mercado de trabalho e na formação profissional são enormes, só contribuiria para elevar o descrédito e distanciar as perspectivas de conquistas.

Os princípios que direcionam a FIO desde a sua fundação não propiciam margens para compactuar com irregularidades e nem ser conivente com atitudes ímprobas ou antidemocráticas.

A omissão nunca foi e nem será premissa da Federação diante de temas ou circunstâncias políticas que envolvam a Odontologia no país. Entretanto, esta entidade sindical não agirá de maneira açodada e oportunista, e nem deixará se levar por pressões diante de uma situação delicada. Há que se ter equilíbrio e inteligência política para não promover atos que em nada contribuirão para solucionar os problemas. É fundamental saber como e quando tomar posições.

Não se pode, diante da situação que se descortina, simplesmente jogar para a plateia. A responsabilidade coletiva nos impõe atitudes firmes, que vão às raízes dos problemas, mas que estejam cercadas de bom senso e de objetivo construtivo.

As acusações estão postas e é preciso que os órgãos competentes as apurem, pois, frisa-se, são graves. Lembrando que em uma democracia deve ser resguardado a todos o amplo direito de defesa. Porém, uma vez investigadas e comprovadas as denúncias, tem que haver punições; a legal, pela justiça, e a política, pelos profissionais, não permitindo a continuidade ou a recondução daqueles que praticam improbidades, sob pena da completa desmoralização da categoria odontológica brasileira junto à sociedade.

A FIO encaminhará ofícios, solicitando aos órgãos responsáveis pela investigação celeridade na apuração das denúncias para que a Odontologia brasileira tenha conhecimento da real situação.

 

*Texto aprovado por unanimidade pelos representantes dos sindicatos presentes, em reunião plenária em Aracaju-SE, em 19 de junho de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.