sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Análise da conjuntura política, sindical e econômica do País foi tema de palestras ontem à tarde, no IV CONFIO

O IX Congresso da Federação Interestadual dos Odontologistas – IX CONFIO- acontece nos dias 29 e 30 de outubro (quinta e sexta-feira), no auditório do Hotel Rifóles, em Ponta Negra, com o tema: “O Mercado de Trabalho na Odontologia: Desafio Atual Público e Privado”.
O presidente da FIO, José Ferreira Campos Sobrinho comentou sobre a importância do evento. “O nosso Congresso aborda temas importantes para a categoria e reúne profissionais de todo o Brasil e palestrantes de alto nível científico e profissional”, disse o presidente da FIO, José Campos Sobrinho.
 
O diretor de finanças da FIO, José Carrijo Brom falou sobre os principais assuntos que serão abordados durante todo o evento. “O tema principal é o mercado de trabalho, um assunto atual e que engloba as mais variadas facetas, dentre elas, saúde do trabalhador, formação profissional e convênios e credenciamentos. Cerca de 60% dos cirurgiões dentistas são vinculados a planos de saúde bucal. Para a Federação, o Congresso ajuda a nortear ações e para os profissionais que estão participando é sem dúvida uma grade oportunidade de ficar informado sobre as diversas inclinações e desdobramentos da profissão”, esclareceu e acrescentou que o IX CONFIO conta com 250 profissionais inscritos.
Ivan Tavares, presidente do SOERN fez a abertura dos trabalhos e convidou o primeiro palestrante da tarde.

Para falar da temática sindical do Brasil e os seus desafios, a FIO convidou como palestrante, o professor e consultor da CNTU, João Guilherme Vargas Netto. “Os sindicatos enfrentam um novo momento do Brasil  e acredito que três tripés são fundamentais para que eles sobrevivam a nova realidade financeira e econômica. Primeiro é resistir a perda de direitos, de salário e de emprego. O segundo é representar bem a categoria e garantir a disputa democrática e o terceiro tripé é unir. A ação sindical tem se destacado e é preciso que as categorias se unam para que busquem uma representação melhor de seus direitos”, enfatizou o professor João Guilherme.

O jornalista e diretor de documentação do DIAP, Antônio Augusto de Queiroz finalizou o ciclo de palestras, na parte da tarde e abordou questões políticas e econômicas do Brasil. “Sabe-se que a crise está muito difícil, mas temos que ter clareza para que façamos a resistência com conhecimento de causa. Quero em minha explanação fazer uma relexão de três dimensões da crise: ética, política e econômica", falou. 

















Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.