quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Sem data para o pagamento de dezembro, servidores continuam em Greve Unificada por tempo indeterminado

Apesar de todas as expectativas e esperanças dos seis líderes sindicais da Greve Unificada, o Prefeito Carlos Eduardo não anunciou a data dos salários do mês de dezembro, durante a audiência realizada na terça-feira (27), na sede da SEMPLA. O SOERN esteve representado pelo presidente Ivan Tavares e os diretores Flávio Calife e Teresa Neumann.


De acordo com o prefeito Carlos Eduardo, os pagamentos serão realizados mediante a entrada de receita e por isso não pode determinar uma data. ”Assim que o dinheiro da repatriação cair na conta, no dia 2 de janeiro, começaremos a pagar por faixa, assim como a entrada do IPTU no dia 10”, informou e esclareceu que a folha de novembro foi paga com uma parte do IPTU pago até o dia 23 de dezembro.
Na  manhã de ontem (28), os servidores municipais se reuniram na Praça Tamandaré para discutir os rumos da greve. Diante da incerteza sobre a data do pagamento, que já estará atrasado a partir do dia 30 de dezembro, os trabalhadores decidiram manter a greve por tempo indeterminado. Após a deliberação, foi realizada uma caminhada até o Palácio Felipe Camarão, onde os servidores reafirmaram a luta pelo cumprimento da Lei Orgânica do município.
Representando o SOERN, o diretor Flavio Calife falou aos presentes que o prefeito alega não ter dinheiro, mas a Secretaria de Saúde continua assinando contratos terceirizados. “Ficamos sem resposta sobre a terceirização ontem, na reunião com o prefeito. O custo de um funcionário terceirizado é 3 vezes maior do que um servidor concursado. Esse discurso de terceirizado é Massa de Manobra”, disse.
A diretora Teresa Neumann, falou que "os rumos da greve tomaram uma proporção consistente, com bem mais adeptos, em virtude da falta de compromisso dessa gestão com o servidor. Finalmente, as categorias estão enxergando a forma dissimulada, como somos tratados".
Na ocasião, foi informado a Agenda Unificada da Greve: na terça (3), haverá assembleias específicas de cada categoria e um novo ato público na próxima quarta-feira (4), às 8h, em frente à prefeitura, quando será cobrado, novamente,  um posicionamento do prefeito Carlos Eduardo.










terça-feira, 27 de dezembro de 2016

SOERN participa de audiência pública na Câmara dos Vereadores

Na manhã de hoje (27), os representantes do SOERN e de outros sindicatos participaram de Audiência Pública proposta pelos vereadores Júlio Protásio e Sandro Pimentel, na Câmara Municipal de Natal. O objetivo da audiência era falar sobre o cumprimento da Lei Orgânica que trata do pagamento dos servidores públicos municipais de Natal. Com auditório lotado, o evento foi considerado um sucesso, e contou com propostas e debates enriquecedores.

De acordo com a presidente do Sinsenat, Soraya Godeiro, a conversa agendada para tarde de hoje com o prefeito, poderá seguir um caminho de diálogo e negociação ou de radicalização. “As coisas apontadas aqui são preocupantes. Não é verdade que existe uma decisão judicial, do Tribunal de Justiça do Estado, dizendo que o prefeito pode pagar até o dia 5º útil de cada mês.  Todas as ações que os sindicatos ajuizaram, foram para que haja o cumprimento da lei orgânica do município, que diz que o pagamento deve ser efetuado até o último dia útil de cada mês”, disse e acrescenta que trouxeram essa informação de forma equivocada porque querem alterar a lei orgânica do município de Natal.

O vereador Júlio Protásio disse estar satisfeito com a participação expressiva da população. “Espero que todas as audiências públicas sejam assim, abarcadas por respostas do governo com decisões imediatas, como essa, na qual o governo se antecipou e depositou na conta dos servidores o salário devido de novembro, uma vitória da mobilização de vocês, uma vitória da mobilização exercida no Governo e na Câmara Municipal”, disse e acrescentou que em conversa recente com prefeito se colocou à disposição para ajudá-lo a economizar, a arrecadar mais, mas que não contasse com ele para arrochar ainda mais o servidor, que já está pagando há três anos sem data base.



O diretor do SOERN, Flávio Calife, parabenizou os servidores pelo movimento, em especial aos que participaram do coral de Natal na última sexta-feira. “Tenho certeza que o coral da Árvore de Mirassol já virou atração turística. O executivo este ano quebrou um princípio basilar de Natal, que era o da isonomia salarial entre os servidores da categoria. Esperamos que o executivo traga a esta casa um projeto que restaure a isonomia salarial entre os servidores da saúde”, disse.


Já a Secretária Municipal de Administração (SEMAD), Jandira Borges, disse que o prefeito não anuncia calendário porque a situação da arrecadação está difícil. “De que adianta fazer um calendário sem conseguir honrar? Esperamos que em 2017 possamos mostrar um calendário possível de ser cumprido”, disse Jandira.          

A secretária adjunta especial da Sempla, Joanna Guerra falou que é preciso ter sensibilidade em relação às consequências que este momento traz na vida de cada um de nós. “Trabalhamos de forma dura em busca de retificar alternativas e buscar as melhores soluções para sair dessa situação difícil que nos encontramos. A Sempla, junto às demais secretarias do município, discute medidas de ajustes, que aumentem a arrecadação e diminuam as despesas, para que possamos mitigar o desequilíbrio econômico entre receita e despesa”.

A vereadora Amanda Gurgel parabenizou os servidores pela presença maciça. “Apesar de toda humilhação a que nós trabalhadores somos submetidos, estamos resistindo. Aqui o tempo todo se fala de dificuldade. Os auditores fiscais do município têm comparecido frequentemente à Câmara para dizer que não existe frustração de receita em Natal. A receita do município, a que compõe a fonte 111 está muito bem, obrigada”, disse. Ela falou ainda da má administração do dinheiro. “O que tem sido feito com o dinheiro que se tem? Escolha, se é para dar calote, vai dar calote nos servidores ou em banco? Bancos são trilionários, mesmo diante da crise econômica. Quais as prioridades do prefeito? Festas?”, indagou Amanda.

Quem também se manifestou foi o vereador Sandro Pimentel. “O prefeito vai entrar para o quarto ano dando calote, literalmente, na data base do servidor. Basta! Chega! O servidor não aguenta mais esse prefeito de araque”.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Recesso


Agenda Unificada

23/12 - Bloco dos lisos (Ato na árvore de Mirassol) – às 16h
27/12 - Audiência pública na Câmara Municipal de Natal - 8h

28/12 - Acampamento na prefeitura quarta 8h

Servidores municipais decidem em assembleia que greve deve continuar

Com o auditório do Sinsenat lotado, os servidores públicos municipais decidiram, por unanimidade, na manhã de hoje (22), em Assembleia, a permanência da greve. O motivo é o atraso no salário. 


Quem abriu o evento foi a presidente do Sinsenat, Soraya Godeiro, que falou sobre as perspectivas depois da reunião de ontem com o prefeito Carlos Eduardo. 




Em seguida quem se pronunciou foi o presidente do Sindern, Luciano Cavalcante que pediu empenho de todos neste movimento. "O prefeito falou por 1h05 e não falou nada além do que já tinha falado em seu discurso de campanha. Pedimos que os colegas de trabalho fortaleçam o movimento. Não é momento de ficar de cabeça baixa, mas sim engrossar a luta”.


A diretora do Sindicato dos Servidores da Saúde do RN (Sindsaúde), Célia Maria Dantas também reforçou a importância da adesão à greve. “Não estamos recebendo em dia. Já vi profissional dizer que precisava ir para casa, pois conseguiu 5 reais e precisava comprar comida para os filhos que ficaram em casa com fome”, lamentou. Ela deixou um recado aos profissionais que estão indo trabalhar a pé. “Quem não tem dinheiro para passagem, é bom lembrar que a Prefeitura já quebrou o contrato há muito tempo. Os que tem dois vínculos, usam recurso do outro pagamento para ir trabalhar, mas quem tem apenas um, nem tem dinheiro para passagem e nem comida. Estamos orientando que as unidades básicas fechem”.



A diretora de comunicação do SOERN, Teresa Neumann, disse que o SOERN, mesmo sem a representatividade física, se estabelece como entidade nesta luta unificada, se sobrepondo a toda e qualquer pressão que a gestão venha a fazer. “O SOERN, como entidade, permanece aqui firme, nessa luta unificada, caracterizando essa greve, o único instrumento de luta que nós temos”, explica.



Já o presidente do Sindguarda, Souza Júnior falou do Refis, uma ação do Governo Federal, voltada para as grandes empresas. “Trata-se de um refinanciamento para as grandes devedoras do País. Falar que existe uma crise, que o País quebrou, não condiz com as práticas do Governo Federal. O prefeito ontem disse que a prefeitura fez todos os esforços, mas que desde de dezembro de 2014, já sabia que não teria como pagar os salários dezembro de 2016. Se sabia, por que não se planejou? Vamos acordar. Chegou o momento de dar uma resposta em nível local, estadual e federal”, conclui.




Ao final, quem falou foi o presidente do SOERN, Dr. Ivan Tavares: "Ouvi o prefeito, que já tem uma genética espalhada há algumas décadas, falar em crise nacional. Ele disse ontem que o Brasil quebrou. O Brasil não quebrou coisa nenhuma, o que nos preocupa é a terceirização em curso. Não podemos desconectar o que acontece em Natal com o que acontece em Brasília., há mudança de paradigmas que está sendo anunciada para culpar o servidor pelas mazelas que ocorrem em nosso País e no mundo todo.  Nossa luta é por nossos empregos!"

Representantes sindicais se reunem com o prefeito Carlos Eduardo

Na manhã de ontem (21), representantes sindicais se reuniram com o prefeito Carlos Eduardo e alguns secretários, na Prefeitura. O objetivo era falar sobre o atraso nos pagamentos dos servidores públicos do município.

Quem iniciou o debate foi Carlos Eduardo, que disse que esse é um momento muito importante para todos. “Somos instituições representativas da Cidade e não podemos, diante da situação que estamos vivendo, deixar de dialogar. O que nos traz aqui é a situação em que o País enfrenta. Ninguém aqui ignora e nem deixa de sofrer as terríveis consequências de uma crise econômica e política, sem precedentes na nossa história, além de moral e ética”, lamenta o prefeito.
A presidente do Sinsenat, Soraya Godeiro falou sobre as perspectivas. “Vamos sair daqui e atender a imprensa e o que temos para dizer é que o prefeito disse que há a possibilidade de até dia 30 pagar o mês de novembro, e dezembro a ver navios. Como vai ficar a Cidade com os servidores públicos sem condições materiais e psicológicas de ir ao trabalho? O prefeito deveria visitas algumas casas de trabalhadores para checar as condições atuais. Crianças sem leite, sem fraldas. Um caos”, comenta.


A diretora do Sindicato dos Servidores da Saúde do RN (Sindsaúde), Célia Maria Dantas, também falou sobre a situação. “O que nos deixa indignados é que, enquanto a prefeitura atrasa os salários, empresas terceirizadas, como a JMT crescem cada vez mais”, comenta. Ela acrescenta que na Maternidade Araquém, ano passado haviam dois servidores na recepção, hoje é possível encontrar cinco, dois quais três são da JMT.    
O presidente do Sindern, Luciano Cavalcante reforçou o que disse Célia e também lamentou o não pagamento. “É triste quando vemos colegas adoecendo pela situação financeira em que se encontram. Vários relatam casos de adoecimento, em detrimento desse atraso, pois ele atinge todo poder de compra do trabalhador”, lamenta.  



Quem também teve oportunidade de falar foi o presidente do SOERN, Dr. Ivan Tavares, que mencionou a situação atual dos servidores. “Estamos cumprindo nosso papel histórico de resistência. Os sindicalistas são pessoas com representação dada por lei e que devem, no conjunto da sociedade, viver ao lado da verdade. Queria lembrar ao prefeito, que ele irá ficar conhecido na história como o prefeito que quebrou a isonomia na saúde de Natal”, disse e acrescentou que os trabalhadores vivem numa sociedade estratificada, que os tem levado para base da pirâmide, sendo culpados por tudo, mas a maior penalização é para a população. “Não gostamos de fazer greve. Esse é o último recurso que temos”, completa. Ao final o presidente do SOERN sugeriu ao prefeito que os 22 mil servidores públicos pudessem postergar o pagamento dos impostos, como por exemplo, o IPTU, sem cobrança de juros. “Espero que a Prefeitura nos dê a possibilidade dos pagamentos de nossos tributos em atraso, sem as correções devidas”, finaliza. 

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

NOVAS INFORMAÇÕES SOBRE A AGENDA DE LUTA DA GREVE UNIFICADA


AUDIÊNCIA PÚBLICA NA CÂMARA MUNICIPAL DE NATAL

Como é de praxe, a Câmara Municipal de Natal (CMN) envia convites às Entidades para a realização das audiências públicas. Atentos a isso, percebemos que o convite para a audiência de amanhã (20), solicitada pelo Sinsenat para debater o atraso nos salários, não chegou.

Dessa forma, entramos em contato com a CMN, a qual adiou a audiência sob a seguinte justificativa: a assessora responsável pelo envio dos convites é a mãe da jovem assassinada a facadas, enquanto amamentava, pelo seu ex-companheiro, há poucos dias. Em decorrência da tragédia, o serviço ainda não foi normalizado.
 
A LUTA CONTINUA

Com o adiamento da audiência, o Sinsenat e as Entidades Sindicais representativas da Greve Unificada convocam os servidores e servidoras para um ATO PÚBLICO, amanhã (20), no mesmo horário: às 8h. Vamos à Câmara solicitar aos vereadores o apoio a nossa greve!

ATO NA ÁRVORE

Convocamos os trabalhadores e trabalhadoras para um novo ato público na SEXTA-FEIRA (23), ÀS 16H, NA ÁRVORE DE MIRASSOL. Vamos colocar o Bloco dos Lisos e das Lisas mais uma vez na rua!




Agenda unificada da greve

 

Prefeitura remarca audiência e assembleia unificada é reagendada para quarta (21)


quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Prefeito garante quitar décimo até o dia 20 de dezembro

Em reunião ocorrida na tarde desta terça-feira (13), entre a Secretaria de Planejamento do Município (Seplan) com o servidores municipais, o secretário Chefe do Gabinete Civil, Johnny Costa afirmou que a Prefeitura Municipal de Natal afirmou que ainda não sabe quando poderá pagar aos servidores do município os vencimentos referentes ao mês de novembro; a única previsão concreta é que o prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT) quer, até o dia 20 de dezembro, quitar a última parcela do décimo terceiro.

“O salário de outubro já foi integralizado, não temos previsão para quitar os salários de novembro, porque ainda estamos esperando reunir receitas que estão para entrar como, por exemplo, os recursos de repatriação. O que está certo é que a prefeitura está fazendo todos os esforços possíveis para resolver as pendências sobre a última parcela do décimo terceiro. O prefeito Carlos Eduardo espera pagar esta parte até o dia 20 de dezembro”, contou Costa.

Estiveram presentes na reunião representantes do Sinsenat, Soern, Sindern e Sindsaúde, além da Secretária Municipal de Administração (SEMAD).

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

SOERN e SINDERN promovem palestra esclarecedora sobre a Reforma da Previdência

Na manhã de hoje, dentistas e enfermeiros se reuniram na sede do CRO-RN para uma palestra com o assessor jurídico do IPERN, Nereu Linhares. Ele falou sobre as propostas feitas pelo Governo Federal para alteração do regime previdenciário, sobretudo quanto a questão da idade, da perda de paridade das aposentadorias e pensões. O evento faz parte da programação da greve dos servidores públicos do Estado e Município.

De acordo com o presidente do SOERN, Dr. Ivan Tavares, para surpresa de todos, ontem foi anunciado que o presidente enviaria, hoje para o Congresso Nacional a Reforma Previdenciária. “Muito apropriado o momento dessa palestra. Estamos aqui enfermeiros e dentistas nessa parceria com Nereu Linhares, uma pessoa devotada ao trabalho público e que tem defendido as nossas causas, para esclarecer a todos sobre o momento atual em que o Brasil passa”.

Quem também se pronunciou foi o presidente do Sindern, Luciano Cavalcanti. “É importante que todos façam uma reflexão sobre o que está ocorrendo nacionalmente. O que será de nós brasileiros, se a sociedade não tomar uma postura para tomar o controle do País”, disse e acrescentou que é importante frisar que as decisões nacionais sempre repercutem nas locais.

Nereu Batista iniciou sua apresentação falando que a previdência é um tema que envolve todo cidadão do mundo. “O programa social mais importante e bonito do mundo”, resumiu.  Ele disse que a previdência foi criada desde o dia em que o homem de neandertal começou a guardar um pedaço de carne para o dia seguinte. Citou, ainda, os sistemas de capitalização e repartição. “Na capitalização, você guarda hoje e faz com que renda para, no futuro,  receber de volta porque é seu. Na repartição, que é o modelo da nossa previdência social, o governo destina parte para projetos sociais. “Brasília foi construída com dinheiro da Previdência, assim como a Ponte Rio-Niteroi e os famosos conjuntos do IPE, casas que enricaram inúmeras construtoras, verba que nunca foi devolvida para a conta da previdência”, lamenta.

Sobre a Proposta de Emenda à Constituição, sugerida pelo Executivo e que foi protocolada na Câmara como PEC 287, Nereu Batista citou mudanças como a fixação de uma idade mínima de 65 anos para a aposentadoria de homens e mulheres. “Tanto homens quanto mulheres só poderão se aposentar após completarem 65 anos, incluindo professores, à exceção de militares. Quem tem mais de 50 anos, entra em uma regra de transição. A reforma prevê ainda um mecanismo de ajuste automático dessa idade mínima de acordo com o aumento da chamada "sobrevida" da população brasileira”, comenta.
Sobre o prazo mínimo de contribuição para a Previdência Social, Nereu conta que será elevado de 15 anos para 25 anos, caso a proposta seja aprovada. “O valor pago à viúva ou ao viúvo passará a ser de 50% do valor do benefício recebido pelo contribuinte que morreu, com um adicional de 10% para cada dependente do casal”, disse e acrescenta que as pensões perdem o vínculo com o salário mínimo.


Ao final, os participantes puderam tirar suas dúvidas e Nereu Batista Linhares recebeu um certificado de participação.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Assembleia unificada decide que greve continua por tempo indeterminado

Na manhã de ontem (30), dirigentes do SOERN participaram de Assembleia Unificada na sede do Sinsenat. O evento, que teve como pauta a avaliação, balanço e encaminhamento da greve, contou com uma representação expressiva de servidores representados pelo Sinsenat, Sindern, Sindsaude e.SOERN.

De acordo com a presidente do Sinsenat, Soraya Godeiro, ontem deveria estar sendo concluído o salário referente ao mês de novembro, mas a prefeitura não conseguiu fechar a folha de outubro ainda. “Não adianta manter a greve, se os servidores retomarem suas atividades ao receber o pagamento, sem pensar nos colegas que continuam na luta com os salários em atraso".

Quem também deixou uma mensagem foi o vice-presidente do SOERN, Edson Cirilo. “Uma Instituição não pode aderir uma greve sem o devido apoio da categoria. Os trabalhadores precisam tomar uma decisão e dar mais força ao movimento”, disse.

A diretora do Sindicato dos Servidores da Saúde do RN (Sindsaúde), Célia Maria Dantas, defende que os gestores deveriam enxergar a importância dos servidores da saúde. “Não temos nossos direitos cumpridos e garantidos. Não recebemos adicional noturno, insalubridade, gratificações e nem temos quinquênios implantados e anda temos nossos salários atrasados”, comenta e acrescenta que Natal tem 21 mil servidores e que espera o apoio e participação nos movimentos de, pelo menos, 10 mil destes.

Já o presidente do Sindern, Luciano Cavalcante, aproveitou o momento para pedir que os profissionais presentes fizessem uma reflexão. “Não passamos em concurso para receber nossos salários parcelados. Nossa categoria nunca esteve tão empenhada, estamos unidos, visitando as unidades e conversando com os demais colegas”, disse e acrescentou que se os servidores fossem enumerar os motivos reais para entrar em greve, passariam de 50.

O representante da assessoria jurídica do Sinsenat, o advogado Gustavo Barbosa deixou claro que o direito da greve é constitucional. “Ao atrasar os pagamentos de seus servidores, a prefeitura está desrespeitando a lei, ou seja, agindo de forma ilícita. Se o movimento grevista for coeso, contará com apoio do Tribunal, que se sentirá pressionado, sendo obrigado a dar uma resposta mais técnica e não só política”. 

Já a diretora de comunicação do SOERN, Teresa Neumann. lamentou a ausência dos profissionais da odontologia na luta. “Não sei se o motivo é a vergonha de dizer que também estão sem dinheiro. Estamos na linha de frente, levando rajadas, muitos dissabores, sempre lutando para chegar onde chegamos. Vamos mobilizar a sociedade para ficar do nosso lado. Nenhuma luta é para todos, mas apenas para os que acreditam na vitória”, completa.

Ao final, a Assembleia decidiu, por unanimidade, que a greve deve continuar por tempo indeterminado, em defesa do cumprimento da Lei Orgânica do Município, que define o recebimento das remunerações até o último dia útil de cada mês. Também ficou definido um novo ato público, marcado para a sexta-feira (2), às 8h, em frente à Prefeitura. 

Créditos das fotos: Sinsenat




segunda-feira, 28 de novembro de 2016

SOERN promove debate sobre Reforma Trabalhista

Na manhã de hoje, como parte da programação da greve dos servidores públicos do Estado e Município, dentistas e enfermeiros se reuniram na sede do CRO-RN, para assistir a palestra de Francisco Júnior (conselheiro do Conselho Estadual e do Conselho Nacional de Saúde). Júnior, iniciou sua fala, dizendo: "o SOERN está saindo à frente, por trazer à tona essa discussão". 

Entre os temas mais debatidos da manhã, merece destaque o PL 4962, que vai de encontro à CLT e estabelece que o negociado se sobreponha ao legislado, fragilizando o trabalhador. 

O palestrante deu ênfase também ao  PL 4302, o da Terceirização, e sua consequência para o serviço público e privado: "No serviço público, algumas das desvantagens são: superfaturamentos e clientelismo; falta de recursos para prover ações; precarização; baixos salários; assédio moral e instabilidade de emprego”, enumera, Francisco Júnior. 


Ele acrescenta que "a terceirização não tem nada de interessante para ninguém, nem para o trabalhador, nem para a sociedade, nem para o país, a não ser para o empregador." Terminada a palestra, a plateia foi convidada a um debate, com vários questionamentos de dentistas e enfermeiros.



Após a discussão sobre a Reforma Trabalhista, houve uma reunião para tratar de assuntos referentes à greve, com a presença do assessor jurídico do SOERN, Breno Cabral, que fez um breve relato sobre a decisão mais recente do Supremo. Ademais, acrescentou que, com o atraso de pagamento de salário, a greve se torna válida, porém vai caber apreciação judiciária e o grevista poderá ter que compensar as horas lá na frente.



Apesar de não ter conseguido o contingente esperado, Dr. Ivan Tavares falou que espera um número mais expressivo na próxima segunda-feira (5), para discutir a Reforma Previdenciária. E finalizou a reunião dizendo que o sindicato só irá tomar uma decisão de substituir a greve por um outro movimento, se essa for uma decisão conjunta com os demais sindicatos.



SOERN participa de Manifesto das centrais sindicais

Representantes do SOERN participaram, na manhã desta última sexta-feira (25), do dia de Paralisação Nacional, contra as administrações federal, estadual e municipal. A ação teve início na calçada do shopping Midway e seguiu até a FIERN.

De acordo com o presidente do SOERN, Ivan Tavares, o Sindicato dos Odontologistas do RN está engajado nesta luta conjunta dos trabalhadores do Estado, que estão de prontidão em todo País, contra os desmandos do atual Governo. “É importante ressaltar que depois do último grande escândalo desse Governo, que agora balança, o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima pediu demissão, uma constatação de que o destino de nosso País não anda bem e que a vontade de retirar os direitos dos trabalhadores, adquiridos há décadas, pode estar balançando também”, disse o presidente. Ele acrescenta que o sindicato está na luta, não apenas contra o governo do RN e a prefeitura, mas também contra as decisões do governo central que querem acabar com os direitos dos trabalhadores e a previdência brasileira. 






sábado, 26 de novembro de 2016

Soern reúne revista e grevista em café da manhã na zona Norte



A zona norte de Natal, nesta quinta-feira,24, foi cenário para um café da manhã, promovido pelo SOERN e SINDERN (Sindicato dos Enfermeiros do Rio Grande do Norte), dentro da programação de Greve unificada. O movimento aconteceu na Unidade de Saúde Soledade I, no bairro Santarém. Após o café da manhã, os trabalhadores saíram em caminhada pelas ruas dos bairros. A população e usuários da unidade de saúde, também participaram da ação.

O presidente do  SOERN, falou aos presentes e reforçou que a categoria em greve, ainda não compreendeu que participar do movimento grevista dá força e voz ao atual momento de reivindicações e lutas, além de falar sobre os planos do governo e da situação do postos de saúde que vivem funcionando sem os insumos necessários. “Estamos aqui para discutir os projetos em andamentos no congresso nacional que vão ter desdobramentos no Rio Grande do Norte e municípios para a terceirização da saúde. Então, se existe um compromisso do trabalhador que é funcionário público com a população, imagine como será quando o funcionário que é hoje e não é amanhã... e que daqui há 20 anos não terá mais concurso público, dificultando o acesso dos pobres à saúde e à educação de qualidade ”disse.

A diretora do SOERN, Teresa Neumann lembrou aos trabalhadores sobre os seus direitos trabalhistas que estão sendo negociados para acabar. “É importante que  a gente abra os olhos, se engaje nessa luta, porque não são os trabalhadores que irão definir isso, mas o povo que precisa estar unido e a voz precisa ser em um só som. Dias piores virão!”, destacou.

O presidente do SINDERN, Luciano Cavalcanti falou sobre a dificuldade da população em conseguir atendimento e que esse é o momento dela se unir ao movimento. “Esse é o momento que a sociedade deve estar junto com os servidores, precisamos entender que o país atravessa um período, onde o governo federal a cada dia apresenta uma PEC que deixa de lado os benefícios para a sociedade brasileira e não podemos deixar isso acontecer, por isso pedimos a participação da sociedade nessa luta”, finalizou.

O movimento foi encerrado com uma caminhada e um dos pontos altos do evento foi a declamação da poesia da diretora Teresa Neumann.




Não é o que parece
“O dia amanhece,
O sol resplandece,
Assim, a promessa aparece...
Contudo, a saúde carece,
O povo padece,
O salário desaparece
O político enriquece,
O servidor entristece,
E também adoece!
E a gestão, não é o que parece
Ela fecha os olhos e emudece”, Teresa Neumann