quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Sem data para o pagamento de dezembro, servidores continuam em Greve Unificada por tempo indeterminado

Apesar de todas as expectativas e esperanças dos seis líderes sindicais da Greve Unificada, o Prefeito Carlos Eduardo não anunciou a data dos salários do mês de dezembro, durante a audiência realizada na terça-feira (27), na sede da SEMPLA. O SOERN esteve representado pelo presidente Ivan Tavares e os diretores Flávio Calife e Teresa Neumann.


De acordo com o prefeito Carlos Eduardo, os pagamentos serão realizados mediante a entrada de receita e por isso não pode determinar uma data. ”Assim que o dinheiro da repatriação cair na conta, no dia 2 de janeiro, começaremos a pagar por faixa, assim como a entrada do IPTU no dia 10”, informou e esclareceu que a folha de novembro foi paga com uma parte do IPTU pago até o dia 23 de dezembro.
Na  manhã de ontem (28), os servidores municipais se reuniram na Praça Tamandaré para discutir os rumos da greve. Diante da incerteza sobre a data do pagamento, que já estará atrasado a partir do dia 30 de dezembro, os trabalhadores decidiram manter a greve por tempo indeterminado. Após a deliberação, foi realizada uma caminhada até o Palácio Felipe Camarão, onde os servidores reafirmaram a luta pelo cumprimento da Lei Orgânica do município.
Representando o SOERN, o diretor Flavio Calife falou aos presentes que o prefeito alega não ter dinheiro, mas a Secretaria de Saúde continua assinando contratos terceirizados. “Ficamos sem resposta sobre a terceirização ontem, na reunião com o prefeito. O custo de um funcionário terceirizado é 3 vezes maior do que um servidor concursado. Esse discurso de terceirizado é Massa de Manobra”, disse.
A diretora Teresa Neumann, falou que "os rumos da greve tomaram uma proporção consistente, com bem mais adeptos, em virtude da falta de compromisso dessa gestão com o servidor. Finalmente, as categorias estão enxergando a forma dissimulada, como somos tratados".
Na ocasião, foi informado a Agenda Unificada da Greve: na terça (3), haverá assembleias específicas de cada categoria e um novo ato público na próxima quarta-feira (4), às 8h, em frente à prefeitura, quando será cobrado, novamente,  um posicionamento do prefeito Carlos Eduardo.










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.