sábado, 2 de fevereiro de 2013

SOERN traz a Natal o Prof. Volnei Garrafa


O Sindicato dos Odontologistas do Rio Grande do Norte - SOERN - promoveu 5ª e 6ª feira (31/01 e 01/02) no curso de Medicina Oral e Odontologia Hospitalar, a disciplina de Bioética. O curso foi ministrado pelo Prof. Volnei Garrafa, no auditório do Conselho Regional de Odontologia.



Falar da Bioética no Brasil sem mencionar Volnei Garrafa, coordenador da Cátedra UNESCO de Bioética da Universidade de Brasília (UnB), além de injusto, é um contra-senso: envolvido com o tema desde o início dos anos 90, Volnei é professor Titular do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências da Saúde – UnB; Consultor - SABE do CNPq, além de Presidente da Rede Latinoamericana e do Caribe de Bioética da UNESCO - REDBIOÉTICA.



A Bioética é uma ética aplicada, chamada também de “ética prática, que visa “dar conta” dos conflitos e controvérsias morais implicados pelas práticas no âmbito das Ciências da Vida e da Saúde do ponto de vista de algum sistema de valores (chamado também de “ética”).



Volnei fala sobre a iniciativa do SOERN em realizar um curso de tamanha importância para os cirurgiões dentistas. “A bioética já está consolidada nos países desenvolvidos. É sem dúvida, um conhecimento novo e que chegou para ficar. Parabenizo o sindicato por me convidar para ministrar este curso”, reforça e completa que, a bioética está inserida nos novos medicamentos, novas técnicas da odontologia e pode fornecer instrumentos para que os dentistas reflitam antes de tomarem decisões. A bioética preza pelo princípio de fazer o bem ao paciente, como profissional , mas respeitando a sua autonomia.



O presidente do SOERN, Ivan Tavares explica o motivo de discutir a bioética junto à categoria. “Conversar e estudar sobre a bioética é um prato cheio, imprescindível e singular. A bioética contribui para que os profissionais da odontologia reafirmem o seu compromisso como profissionais da área de saúde. Eles passarão a atuar em uma área que anteriormente, era considerada “morta e esquecida”, a hospitalar", disse e enfatiza que pacientes morrem por falta de atendimento e o papel do profissional de saúde é minimizar a dor e proporcionar mais qualidade de vida aos pacientes. Com uma equipe multidisciplinar nos hospitais, o número de infecção hospitalar tende a diminuir.



Durante o curso na 5ª à tarde fizeram parte da mesa: o vice-coordenador do curso, José Ferreira Campos, o presidente da ABO, Pedro Alzair, a representante do Secretário Municipal de Saúde, Vera Castro, o vice-presidente da Academia Norteriograndense de Odontologia, Doriélio Barreto, Eimar Lopes, do Conselho Federal de Odontologia e Héverton Fernandes da diretoria do CRO.

































Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.