terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

MAIS DISCUSSÕES SOBRE O PCCV

Passado o primeiro mês (janeiro) de implantação do PCCV, encaminhado pela prefeita Micarla de Souza, alguns pontos são considerados para discussão:
1 - Todos os dentistas que acreditavam no aumento de 30% no mês de janeiro, foram surpreendidos com zero de aumento... A explicação dada pela SEGELM (Secretaria de Gestão de Pessoas, Logística e Modernização) é simples de entender, mas difícil de engolir. Vamos tentar esclarecer:
Para exemplificar, usaremos um salário base de R$ 1.200,00, com 4 anos de trabalho e com matriz inicial do plano em R$ 3.000,00.
Todos os 3 aumentos (janeiro – 30%; março – 35% e maio - 35%) são dados sobre a matriz inicial do plano.
Considerando 30% (no mês de janeiro), sobre R$ 3.000,00, obtém-se R$ 900,00.
Se o salário base já é de R$ 1.200,00, então o servidor já recebe mais que o porcentual do aumento, consequentemente, nada de diferença no contra-cheque.
Quando chegarmos em março teremos 35% de aumento, o que equivale (somando o percentual de janeiro e março) a R$ 1.950,00, denotando um aumento de R$ 750,00.
Em maio, com mais 35%, consolidará os R$ 3.000,00 proposto no PCCV, o que resulta em R$ 1.800,00 de aumento, igualando com a matriz inicial do plano para o exemplo citado anteriormente.
2 - Apesar de em maio, teoricamente, estarmos com um salário base maior, esses reajustes levarão à diminuição da VICT (Vantagem Individual de Caráter Transitório), que é a soma da GPL + produtividade. A mesma será absorvida gradativamente ao salário base (matriz inicial), até desaparecer completamente. Isto para os servidores do município. Esse artifício torna-se mais interessante para quem está em fim de carreira, do que para iniciantes.
3 - A VICT dos servidores municipalizados será mantida em valores atuais, e os reajustes serão discutidos na data base da categoria. (dos municipalizados????).
4 - A GEO (Gratificação de Especialidades Odontológicas) foi implantada normalmente em janeiro. Quanto ao pequeno aumento da Gratificação de plantão, será implantado em fevereiro.
5 - A decisão da nossa Assembléia do dia 08/02/2011, foi de assinar o termo de adesão ao PCCV, apesar de termos o prazo de 120 dias, a contar da data da sanção pela prefeita, para realizar este procedimento.
6 - Outro fator fundamental a ser considerado é a retirada das gratificações percebidas quando o indivíduo entrar com um pedido de licença-prêmio.
O curioso é que isto só acontece no Plano da Saúde, pois no Plano Geral não há perda nenhuma. A tendência é de demanda judicial por parte das entidades sindicais, buscando a restituição deste direito.
Importante lembrarmos que no início das discussões do plano a nossa matriz salarial iniciaria em R$ 1.830,00, e que só os médicos seriam contemplados com a matriz inicial de R$ 3.000,00 - a GEO não estava assegurada.
Somente o posicionamento contundente do SOERN, em favor da isonomia salarial é que levou aos avanços conquistados neste Plano, fruto da luta contínua e incansável em inúmeras reuniões e assembléias.
Portanto, juntem-se a nós e venham lutar conosco em favor de novas vitórias! É um direito e, mais do que isso, uma obrigação de quem quer ter salário condigno e ser respeitado!
A Diretoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.